LGPD na Arquitetura | Como fazer nas Empresas?

Post Atualizado em: 25 de maio de 2023
Índice do artigo

Descrição: Neste post, separamos algumas dicas que vão ajudá-lo(a) a saber como funciona a LGPD para empresas de arquitetura. Confira:

LGPD na arquitetura: O regulamento aplica-se ao tratamento de dados pessoais, seja o tratamento automatizado ou não.  Dados pessoais são quaisquer informações relacionadas a uma pessoa identificável, mesmo que indiretamente. Deve ser mantido atualizado um registro do processamento aplicado aos dados, indicando a finalidade desses dados e do processamento. 

Outras dez obrigações o acompanham (transparência, exatidão, minimização, portabilidade, eliminação de dados desatualizados, confidencialidade, direito de retificação, notificação de retificação a subcontratados, direito de ser esquecido, oposição ao perfil automático).

A reação mais imediata é sentir isso como mais um constrangimento que se impõe ao funcionamento da sua empresa e ao seu sistema de informação. Para os fãs de “fazemos isso há 20 anos”, espere algumas dores de cabeça. Porque este regulamento, ou seja, a LGPD na arquitetura, é um quadro legislativo inesperado para o estabelecimento de uma transformação contínua.

Como a LGPD permite um melhor fluxo de dados?

Conhecer para cada dado as diferentes finalidades de sua coleta e processamento associado, seu ciclo de vida, locais de armazenamento e durações, parceiros destinatários ou subcontratados, os meios de recuperá-los e as condições legais de sua conservação, tudo isso parece ser um componente saudável de um repositório de arquitetura, ou mesmo um repositório de processos de negócios. 

Deste modo, a LGPD na arquitetura, por sua vez, permite um melhor fluxo de dados porque garante que as informações confidenciais e compartilhadas entre os arquitetos estejam seguras e protegidas com criptografia de ponta. Além disso, há constantes auditorias em empresas de arquitetura para que a LGPD possa ser aplicada de forma completa e satisfatória.

Portanto, a relação entre o fluxo dos dados e a LGPD está baseada nos locais de armazenamento das informações de arquitetos, nos repositórios de suas produções intelectuais e na auditoria de processos de negócios, para que as empresas de arquitetura e urbanismo possam contar com uma maior proteção do seu fluxo de dados!

Adicionalmente, a LGPD na arquitetura fornece todos os subsídios legais e intelectuais para que os arquitetos possam armazenar as suas informações em um banco de dados seguro e robusto, sem correr o risco de que as suas informações sejam compartilhadas ou acessadas sem as devidas permissões dos administradores da rede de computadores na empresa.

LGPD na arquitetura: Como funciona a independência dos regulamentos e sanções associadas?

Como funciona a independencia

Mas a natureza dissuasiva dessas sanções fornece um fulcro significativo para cunhar a alavanca para a mudança.  Porque a transformação contínua exigida pela grande maioria dos arquitetos de sistemas de informação é acima de tudo uma mudança de paradigma que deve ocorrer na mente de toda a empresa (e não apenas na mente dos funcionários da base). 

A mudança é impedida – às vezes neurologicamente – pelo risco de perder algo. Com a LGPD na arquitetura, é por não mudar nada que todos perderemos com certeza, se as autoridades forem de fato firmes. Os radares automáticos diminuíram a velocidade nas estradas. O preço exorbitante de um maço de cigarros causou o colapso da venda de tabaco.  Portanto, não é o medo difuso de morrer que conquistou a velocidade e o fumo. 

Estamos prontos para nos prender profundamente em nossa lógica destrutiva, em vez de simplesmente adotar uma lógica mais saudável. Não temos o hábito de métodos coercitivos, muito pelo contrário, mas somos impulsionados a observar que, graças ao argumento financeiro, há muito menos motoristas nas estradas, muito menos fumantes, e que graças a esta LGPD, finalmente ouvimos as explicações sobre o fato de que é necessário primeiro saber por que estamos fazendo algo antes de decidir como o faremos. 

Como saber porque guardar dados desnecessários que geram dívidas técnicas caras? Antes, a resposta era invariavelmente “nunca se sabe, pode ser útil”. Você colocaria 4% do seu faturamento mundial nesse “nunca se sabe”? Por fim, a transparência perante o cliente, principalmente a LGPD para arquitetos, conceito que muitas vezes nos fez passar por um urso de cuidados tardios, torna-se um pré-requisito. Transparência é uma certa tranquilidade, um gerador infalível de confiança, uma demarcação óbvia do mercado. 

Sejamos cinicamente transparentes se não nos importamos de sermos tomados por um estrategista sombrio. Mas sejamos transparentes. A LGPD não nos proíbe de traçar perfis de clientes ou mesmo revender seus endereços. Não nos impede de fazer comparações, estudos cruzados e estatísticas de todos os tipos. 

Exige que coletemos o consentimento da pessoa (esse consentimento às vezes pode até ser obrigatório para acessar o serviço), para indicar de forma clara e inequívoca o que vamos fazer, e nos obriga a excluir de nosso processamento automático e de nossa história sem fundo os dados das poucas pessoas que se opõem a se envolver em um tratamento difícil de justificar, como no caso da LGPD para arquitetos

Temos o orgulho de mostrar que não manteremos dados pessoais em nossos arquivos sem razão. Além das considerações primárias sobre o que é bom e o que é ruim, a transparência em nossos objetivos é uma prova de profissionalismo, para não dizer de maturidade. E isso pode atrair clientes cada vez menos ingênuos e cada vez mais informados. Não manteremos dados pessoais em nossos arquivos sem razão.

LGPD na arquitetura: Quais são as vantagens da LGPD para os arquitetos?

Quais sao as vantagens da LGPD

As vantagens da LGPD para os arquitetos, e para as empresas de arquitetura e urbanismo são inúmeras: como dissemos, estas vantagens contemplam desde a proteção de dados dos servidores – com a criptografia de ponta a ponta – até ao direito de acesso das informações ditas como “confidenciais”.

Deste modo, isso inclui desde o acesso à plantas 2D e 3D da empresa, protocolos de atendimento, acesso a banco de dados, domínio de servidores, atualizações no site, projetos de plantadas de casas, apartamentos e escritórios, entre outras vantagens de acesso restrito que a LGPD para arquitetos poderá oferecer para as empresas de arquitetura e urbanismo.

Portanto, os arquitetos e empreendedores podem ficar tranqüilos! Pois nós da Dominit Cloud and Management IT podemos oferecer soluções completas e inovadores em relação à adequação de sites, sistemas e informações compartilhadas com a LGPD e os seus procedimentos legais. Sabendo-se agora o que é LGPD, fica muito mais fácil aplicá-la em seu escritório de arquitetura!

LGPD na arquitetura: Por que contratar uma empresa especializada em LGPD para arquitetos?

Como dissemos, a Dominit Cloud and Management IT, nossa empresa de TI em São Paulo – SP, conta com serviços de backup em nuvem e soluções em LGPD para empresas de arquitetura e urbanismo. Com o nosso sistema em nuvem, a homologação do ambiente de TI se torna um processo mais fácil e segure de se realizar na sua empresa!

Deste modo, caso você queira saber mais sobre o que é LGPD para empresas de arquitetura e urbanismo, acesse agora mesmo o link deste site (http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2018/lei/l13709.htm) e conheça a respeito dos seus dispositivos legais e jurisdição.

A Dominit Cloud and Management IT tem toda a estrutura jurídica para guiar tua empresa no enquadramento à LGPD. Há 11 anos no mercado atuando nas áreas de Terceirização em TI, Computação em Nuvem e Segurança da Informação, a Dominit garante a melhor prestação de serviços apoiando seus clientes e parceiros com excelência e constante inovação.

Venha para a Dominit!

Conheça mais sobre nossos serviços em Computação em Nuvem acessando https://dominit.com.br/computacao-em-nuvem/.

Eduardo Souza | CEO Dominit
Eduardo Souza | CEO Dominit
Eduardo Souza é um renomado CEO do setor de tecnologia da informação, especializado em soluções em Cloud Computing, gerenciamento de projetos, governança de TI e melhores práticas (ITIL, CobIT e ISO 20.000). Com vasta experiência em análise de processos, auditoria, gerenciamento de infraestrutura de TI e criação de plano diretor de TI, Eduardo é referência em reengenharia de Service Desk e palestras e treinamentos na área. Com uma abordagem colaborativa e inspiradora, Eduardo Souza lidera a Dominit, empresa de TI especializada em soluções inovadoras para empresas de todos os tamanhos. Sua visão estratégica e habilidade em transformar ideias em resultados fazem dele um dos mais respeitados CEOs de TI do mercado. Eduardo Souza é conhecido por sua capacidade de liderar equipes e extrair o melhor de cada membro, criando um ambiente de trabalho produtivo e inovador. Sua vasta experiência em tecnologia da informação e sua abordagem colaborativa fazem dele um líder nato, sempre em busca dos melhores resultados para sua empresa e seus clientes. Com sua visão de futuro e seu conhecimento técnico sólido, Eduardo Souza tem sido responsável por conduzir a Dominit em uma trajetória de sucesso, criando soluções inovadoras e eficientes para atender às necessidades de seus clientes.
Curtiu o conteúdo? Deixe seu comentário!
Sobre nós

A Dominit Cloud and Management IT foi fundada no ano de 2009, pelo empresário Eduardo Souza com 15 anos de experiência em Serviços de infraestrutura e ex-sócio da empresa Megalan Consultoria.

Siga a nossa fanpage
Receba as nossas novidades em seu e-mail!

Se inscreva em nossa newsletter e receba as nossas matérias em primeira mão!

Nós utilizamos cookies para personalizar anúncios e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de privacidade